Ser um programador sénior

Ser um programador sénior não é apenas uma questão de se esperar 10 anos por uma metamorfose de junior para senior. Há certas atitudes e uma forma de estar a ter em conta. Neste artigo concentrei-me na minha experiência e no que mais valorizo: humildade e introspecção. Publiquei este artigo em inglês no Medium. Espero que gostem.

Introdução ao debugging de software

O debugging de um programa baseia-se em alguns princípios e técnicas transversais à maioria das linguagens e ambientes de programação. Tentarei, neste artigo, sintetizar o que entendo por debugging, introduzindo o tema, colocando algumas luzes nos conceitos fundamentais e mostrando que há um mundo para além de alerts e prints.

Os erros mais comuns do programador

É importante analisar os projetos de software que correm mal. Nem sempre são resultado dos prazos impossíveis ou de maus gestores. Geralmente é um somatório de fatores que entra numa espiral causa-efeito. Tentarei agora identificar alguns erros comuns dos programadores (também aqui me incluo). Tais erros não são exclusivos do programador júnior. De facto, alguns são cometidos mais frequentemente pelo programador sénior.

Código de má qualidade

É comum deparar-me com falhas nas boas práticas mais básicas de programação. Tais problemas, embora não correspondam necessariamente a bugs, dificultam a leitura do código, o debug e as alterações. São cometidas por programadores com diversos níveis de experiência. Muitas vezes porque algo foi “feito à pressa”, porque não quiseram arriscar um pequeno refactoring, ou porque não puseram em causa a forma mais correta de o fazer.